X

Para acessar sua conta, use o App Bradesco Universitário

Você tem fome de quê?

Quem nunca saiu da dieta para saborear um lanchinho fast food ou se atirar em uma barra de chocolate, que atire a primeira pedra. Comer besteira não é saudável, mas satisfazer um desejo momentâneo não faz mal a ninguém. O problema é quando o desejo passa a ser diário e a boa alimentação vai por água abaixo.

Segundo uma pesquisa realizada pela Consumers Internacional (CI) – Federação Internacional de Organizações de Consumidores, 80% das pessoas não sabe os impactos negativos que a má alimentação tem em nossa saúde; e 9 entre 10 brasileiros subestimam as consequências que hábitos alimentares prejudiciais têm para o corpo.

Além disso, o estudo apontou que manter uma dieta baseada em alimentos não saudáveis mata mais que guerras, tabagismo, consumo de álcool, Aids e malária. Assustador, né? Por isso, adotar uma alimentação baseada em itens nutritivos e hábitos positivos, evitando os vilões causadores da obesidade, pode contribuir de forma gradual para o bom funcionamento do seu organismo. Incluir fibras na dieta, mastigar sem pressa e abolir o refrigerante são algumas atitudes que representam uma rotina alimentar mais sadia.

“As fibras são famosas por ajudar nosso intestino a trabalhar direito e ainda auxiliam na prevenção e tratamento de doenças do coração e diabetes. Elas também ajudam no controle do colesterol e até a emagrecer, uma vez que seu consumo oferece uma sensação de saciedade”, afirma Lucyanna Kalluf, nutricionista, farmacêutica e bioquímica. “Uma dica é investir em alimentos in natura, como maçã, pera ou batata-doce, ou em sementes e cereais como linhaça e aveia”, acrescenta.

Outro hábito positivo é a divisão de cores no prato. “Um prato com verduras e legumes é a garantia de que você fez uma refeição nutritiva. Não basta comer apenas arroz, feijão e carne: metade do prato precisa ter vegetais e folhas, alimentos ricos em vitaminas”, completa.

Falando nos vilões da alimentação, o refrigerante é a pior companhia durante a refeição. Pra você ter ideia, uma lata de refrigerante possui, em média, 10 colheres de chá de açúcar, o que equivale a aproximadamente 37g. A Organização Mundial de Saúde (OMS) recomenda uma ingestão de apenas 25g de açúcar por dia. Agora, imagine beber uma lata no almoço e outra no jantar por um período de 30 dias?

Em termos de hábitos, é importante fazer da refeição um evento especial. Na correria do dia a dia, nem sempre isso é possível, mas sempre que puder mastigue corretamente, pois isso ajuda na digestão. “Além disso, se alimentar às pressas provoca a formação de gases e causa menor absorção dos nutrientes. Consequentemente, você sente fome mais rápido e investe naquelas besteiras no meio da tarde”, finaliza.

Por: Margarete Ricciotti