X

Para acessar sua conta, use o App Bradesco Universitário

Por que os alimentos integrais fazem bem?

Sem passar por processo de refinamento, os grãos preservam benefícios essenciais para a saúde

Por Aline Nogueira de Sá

Base de uma alimentação saudável, os cereais integrais estão cada vez mais presentes nos cardápios dos restaurantes e nas prateleiras do supermercado, substituindo aos poucos a grande preferência pelos refinados.

Eles são integrais justamente porque preservam todas as suas partes: farelo, película, gérmen e o grão em si. E, dessa forma, se tornam fonte de nutrientes importantes para a saúde e o bom funcionamento do organismo.

"Os cereais integrais têm vitaminas do complexo B, que dão energia e disposição, e vitaminas A e E, de ação antioxidante. Temos cálcio, magnésio e fósforo, minerais importantes para a saúde óssea, boas gorduras e proteína do gérmen, além do carboidrato presente no grão em si", explica a nutricionista Flávia Morais, da rede Mundo Verde.

Enquanto os refinados perdem suas propriedades durante o processo de refinamento e se tornam uma grande quantidade de calorias "vazias", os integrais proporcionam a qualidade máxima nutricional inerente ao alimento, inclusive na quantidade de fibras.

"O que sobra dos refinados é o miolo do alimento", diz. E acrescenta: "Com menos nutrientes e fibras, eles demoram a proporcionar saciedade e aumentam o índice glicêmico no organismo, o que pode ajudar a engordar e a trazer problemas de saúde ", diz.

Como escolher

Arroz integral, aveia integral, quinua, amaranto e trigo integral são exemplos desse tipo de alimento que podem ser encontrados tanto na forma de grãos como em farinhas e ainda processados como pães, bolos, torradas, biscoitos.

Por não serem descascados, os grãos possuem uma cor um pouco mais escura e, depois de prontos, uma textura mais dura do que a dos refinados.

Porém, na hora de comprar um alimento integral processado, é preciso esquecer a aparência e verificar atentamente quais ingredientes estão listados no rótulo, ensina Flávia.

"Por regra, os ingredientes devem ser listados do maior para o de menor quantidade no produto. Portanto, em um pão, por exemplo, se a farinha integral não for o primeiro item, ele não é realmente integral, mesmo que tenha uma aparência mais escura", alerta.

Custo benefício

É comum encontrar os produtos integrais por um preço mais alto do que os dos produtos refinados. Porém, segundo a nutricionista, esse valor, na verdade, apresenta maior vantagem em termos de custo benefício.

Ela explica que os consumidores pagam o valor mais justo pelo alimento integral, enquanto que, no caso dos refinados, pagam só um pouco menos para levarem apenas parte do produto. As outras partes são usadas pelos fabricantes para produzir produtos diversos, como óleos e farelos.