X

Para acessar sua conta, use o App Bradesco Universitário

Como o coaching pode ajudar a turbinar sua carreira

O ingresso na universidade nem sempre acaba com as dúvidas em relação ao futuro. Muitas profissões possuem áreas tão distintas que o ponto de interrogação insiste em permanecer na cabeça do estudante. Um exemplo clássico é engenharia. Quem decide seguir a carreira, ainda precisa optar por um dos mais de 30 tipos. É em casos como este que se pode contar com ajuda profissional, o chamado coaching universitário.

Existem diversos tipos de coaching para diferentes objetivos e fases da vida. Mas no caso do universitário, pode auxiliar a dar um rumo ao estudante que ainda não sabe o que o satisfaz como profissional. “O planejamento ajuda a ter domínio sobre sua própria vida, evitando que desperdice tempo, conhecimento, dinheiro e energia com o que não vai trazer os resultados esperados”, explica Fernanda Schroder, coordenadora do Instituto Brasileiro de Mercado de Capitais (Ibmec) de Minas Gerais.

No entanto, de acordo com a especialista, o feedback de um coaching nem sempre será positivo, e será preciso que mudanças comportamentais sejam desenvolvidas. “As estratégias podem exigir uma completa alteração de direcionamento, desenvolvimento ou melhora de algumas habilidades”, acrescenta.

Para traçar o diagnóstico, o profissional de coach realiza várias sessões utilizando técnicas, ferramentas e conhecimentos de diferentes ciências com a função de instigar, apoiar e despertar no universitário o potencial para que este conquiste o que deseja. “É um processo que produz mudanças positivas e duradouras em um curto espaço de tempo. Consiste em tirar um indivíduo de seu estado atual e levá-lo ao estado desejado de forma rápida, consciente e satisfatória”.

Ainda pouco praticado no Brasil, o coaching de carreira é visto como fundamental nas terras do Tio Sam. Uma pesquisa publicada no livro “O que não ensinam em Harvard” mostrou que 3% dos graduandos tinham metas e haviam se planejado; 13% tinham metas, mas não fizeram qualquer planejamento, e 84% não tinham meta alguma. Dez anos depois, constatou-se que os 3% que haviam colocado suas metas no papel ganhavam 10 vezes mais do que os demais.

“Em qualquer fase da carreira profissional, o coaching é uma oportunidade de visualização clara dos pontos individuais, de ampliação da autoconfiança e de dissolver barreiras de limitação, para que as pessoas possam conhecer e atingir seu potencial máximo de forma objetiva e, principalmente, assertiva”, conclui.